LIneA Organiza Reunião de Avaliação do Portal SSO

15 de dezembro de 2020 | LIneA

No dia 10 de dezembro o LIneA promoveu a reunião de avaliação do Solar System Objects Portal, seguindo o mesmo formato das reuniões de avaliação internacional feitos ao longo dos anos sobre o Dark Energy Survey (DES), Science Portal e o protótipo do sistema de monitoramento desenvolvido para o projeto Dark Energy Spectroscopic Instrument (DESI). O objetivo deste tipo de reunião é obter da parte de uma comissão composta de pesquisadores/técnicos interessados uma avaliação do trabalho realizado pela equipe do LIneA, seja no desenvolvimento de uma plataforma científica ou de um novo serviço de interesse de um determinado grupo e fazer recomendações em diferentes fases do projeto. Neste caso, a plataforma em questão era o Portal que foi desenvolvido há três anos pela equipe de TI do LIneA e que veio passando por melhorias ao longo deste tempo. Este portal atende uma demanda do grupo Transneptunian Occultation Network (TON), e já se encontra em um estágio avançado de desenvolvimento

blank
Foto: Apresentação do Portal SSO.

A motivação inicial para criar o SSO Portal foi o de explorar o potencial oferecido para a predição de eventos de ocultação estelar pelo grande acervo de dados acumulados pelo DES, entre os anos de 2013 e 2019, e os dados do satélite GAIA com alta precisão astrométrica. O acervo consiste em mais de 130,000 exposições ou 8 milhões de CCDs, sendo da ordem de 370 mil objetos do sistema solar identificados em 2 milhões de CCDs.

A reunião consistiu de duas apresentações comentando sobre diferentes aspectos do processo de desenvolvimento, métricas sobre o escopo do projeto em termos, por exemplo, do número de linhas de código, o esforço realizado em termos de pessoas-hora para diferentes perfis de profissionais, as dificuldades técnicas encontradas ao longo do processo e o desafio de reconciliar as exigências de vários projetos em paralelo com diferentes prazos de entrega. As apresentações foram seguidas por um demo ao vivo do portal. Ao final, foi realizado um construtivo debate sobre quais devem ser os próximos passos no desenvolvimento, bem como o futuro uso da ferramenta para explorar outros conjuntos de dados.

A comissão contou com a participação dos pesquisadores: Júlio Camargo (ON), Felipe Ribas (UFTPR), Gustavo Rossi (OBSPM), Altair Gomes (UNESP) e Bruno Morgado (OBSPM). Os membros da comissão estão encarregados de fazer um relatório por escrito descrevendo suas opiniões, comentários gerais sobre o trabalho, recomendações sobre novas implementações e o futuro da ferramenta a curto e a médio-prazo.

blank
Foto: Comissão e membros do LIneA via Zoom.

Esta reunião foi a primeira de uma série de avaliações previstas para os próximos dois meses que inclui: 1) uma avaliação da mais recente versão do LIneA Science Server, que entrará no ar no início de Janeiro, primeiro no NCSA e mais tarde aqui no LIneA, para explorar seis anos de dados do DES; 2) uma avaliação do Portal MaNGA desenvolvido a pedido dos pesquisadores brasileiros no BPG-SDSS para a visualização dos resultados da análise do grande número de cubos observados pelo levantamento MaNGA do projeto SDSS-IV apoiado pelo LIneA; e 3) o projeto de infraestrutura sendo desenvolvido para viabilizar o uso dos serviços do LIneA pela comunidade como previsto no Plano Diretor do laboratório.

O LIneA e o INCT do e-Universo tem como missão apoiar a participação de pesquisadores associados a instituições brasileiras em grandes levantamentos astronômicos como o Dark Energy Survey ( DES), Sloan Digital Sky Survey ( SDSS), Dark Energy Spectroscopic Instrument ( DESI), e o LargeSynoptic Survey Telescope ( LSST). O LIneA, criado em 2010, é apoiado pelo Observatório Nacional ( ON), pelo Laboratório Nacional de Computação Científica ( LNCC) e pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa ( RNP). Em janeiro de 2020 o LIneA transformou-se em uma associação, para dar continuidade a missão de atuar como um instituto de ciência e tecnologia para viabilizar a participação de pesquisadores envolvidos em grandes colaborações internacionais; apoiar centros emergentes, fornecendo uma infraestrutura computacional; acesso a um acervo de dados astronômicos; e desenvolver soluções para problemas de big data nas áreas de astronomia e cosmologia. As atividades do LIneA vem sendo apoiadas ao longo dos anos pelo MCTIC, FINEP, FAPERJ, FAPERGS e a FAPESP. O programa INCT tem o apoio do CNPq, CAPES, e FAPERJ.

Comentários estão fechados.