Instalação do Lustre

01 de dezembro de 2020 | LIneA

A primeira fase de implementação do Lustre (Parallel distributed file system) que consiste na instalação da parte física foi concluída pelo grupo de TI do LIneA.

blank
Fotos: Instalação parte física Lustre / Autor: Carlos Adean.

No final do mês de Novembro a fase dois, instalação lógica – configuração de rede, disponibilização das áreas ou volumes e de armazenamento – começa a ser executada e, por fim, na fase três desse processo, mudanças na infraestrutura serão feitas para utilização dessa nova solução de armazenamento.

O Lustre Filesystem permite alto desempenho computacional e foi projetado para ter vazão de 100 Gbps com armazenamento em discos SSD (70 TB) e HDD (500 TB), num total de 570 Terabytes de capacidade de armazenamento. A alta capacidade de armazenamento do Lustre Filesystem foi desenvolvida para atender a grande demanda de dados que serão produzidos pelo LSST. Além disso, o novo Lustre foi projetado para ser modular, ou seja, se houver a necessidade de expandi-lo futuramente, a arquitetura do sistema permitirá que a equipe de TI do LIneA aumente sua capacidade de armazenamento e vazão (throughput) de forma mais simples.

blank
Fotos: Instalação parte física Lustre / Autor: Carlos Adean.
blank
Fotos: Instalação parte física Lustre / Autor: Carlos Adean.

O LIneA e o INCT do e-Universo tem como missão apoiar a participação de pesquisadores associados a instituições brasileiras em grandes levantamentos astronômicos como o Dark Energy Survey ( DES), Sloan Digital Sky Survey ( SDSS), Dark Energy Spectroscopic Instrument ( DESI), e o LargeSynoptic Survey Telescope ( LSST). O LIneA, criado em 2010, é apoiado pelo Observatório Nacional ( ON), pelo Laboratório Nacional de Computação Científica ( LNCC) e pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa ( RNP). Em janeiro de 2020 o LIneA transformou-se em uma associação, para dar continuidade a missão de atuar como um instituto de ciência e tecnologia para viabilizar a participação de pesquisadores envolvidos em grandes colaborações internacionais; apoiar centros emergentes, fornecendo uma infraestrutura computacional; acesso a um acervo de dados astronômicos; e desenvolver soluções para problemas de big data nas áreas de astronomia e cosmologia. As atividades do LIneA vem sendo apoiadas ao longo dos anos pelo MCTIC, FINEP, FAPERJ, FAPERGS e a FAPESP. O programa INCT tem o apoio do CNPq, CAPES, e FAPERJ.

Comentários estão fechados.