LIneA torna-se uma associação

06 de fevereiro de 2020 | LIneA

No dia 17 de Janeiro de 2020, após 14 anos funcionando como um projeto estruturante do Observatório Nacional e mais tarde como o resultado de um acordo entre três unidades de pesquisa do MCTIC, o Laboratório Interinstitucional de e-Astronomia (LIneA) se tornou uma associação (Figura 1). Entre os fundadores estão pesquisadores seniores, pesquisadores com experiência em trabalhos envolvendo grande volume de dados (cientistas de dados) e tecnologistas que participam do projeto há vários anos.

Figura 1: Assinatura da ata da assembléia que criou a associação LIneA.

A criação desta associação foi recomendada por um grupo formado por diretores de unidades de pesquisa criado pelo MCTIC em reconhecimento da singularidade e da qualidade do trabalho desenvolvido no apoio a participação de a pesquisadores brasileiros em grandes projetos internacionais. A missão do LIneA é atuar como um instituto de ciência e tecnologia e, com o apoio do INCT do e-Universo, viabilizar: 1) a participação de pesquisadores envolvidos em grandes colaborações internacionais como os projetos SDSSDES, DESILSST; 2) apoiar centros emergentes, fornecendo uma infraestrutura computacional; 3) acesso a um acervo de dados astronômicos por estes e outros levantamentos de interesse; e 4) desenvolvendo soluções para o problema de big data sendo enfrentado pelas as áreas de astronomia e cosmologia.

Para atingir os objetivos acima sua equipe é composta por um misto de cientistas de dados e tecnologista na áreas de TI (Figura 2).

Figura 2: Parte do time do LIneA.

A criação é particularmente importante às vésperas do início de operação do Vera Rubin Observatory e o início do Legacy Survey of Space and Time (LSST). A disponibilidade de um centro de armazenamento, acesso e processamento dos dados do LSST e de outros levantamentos será vital para o bom aproveitamento científico dos 50 pesquisadores brasileiros que podem participar do projeto ao longo dos próximos 14 anos.

Outra importante ação do LIneA nos próximos anos será o desenvolvimento do projeto da Rede de Ocultação Sul-americana (ROSA), uma rede de pequenos telescópios robóticos para realizar observações de ocultações estelares por pequenos objetos do sistema solar. O número desses eventos irá crescer exponencialmente com os dados obtidos pelo LSST – o primeiro projeto em Astronomia a explorar em grande escala e profundidade o domínio do tempo.

O LIneA irá atuar como um centro de e-ciência voltado para a Astronomia e Cosmologia mas seu modelo de operação e governança pode servir de exemplo para outros centros atuando em outras áreas e motivar a criação de um centro de suporte de e-ciência para apoiar estas atividades.

Comentários estão fechados.