A astrometria dos satélites galileanos por métodos alternativos

14 de outubro de 2019 | LIneA

No dia 19 de setembro de 2019 o doutorando Bruno Eduardo Morgado, bolsista CAPES e afiliado ao LIneA, defendeu sua tese no Observatório Nacional (ON-MCTIC), no Rio de Janeiro. A tese intitulada “Estudo Astrométrico dos Satélites Galileanos de Júpiter” teve como objetivo desenvolver e analisar técnicas alternativas para obter uma astrometria de precisão dos quatro maiores satélites de Júpiter – Io, Europa, Ganímedes e Calisto. Além de analisar estas técnicas alternativas esse projeto obteve centenas de posições precisas que irão auxiliar nos estudo dos movimentos destes satélites naturais, além de auxiliar nos preparativos das missões espaciais JUICE (ESA) e Europa Clipper (NASA).

blank
Figura 1: Júpiter, Io e Europa, observação feita de um telescópio de 60 cm equipado com um filtro metano. Créditos da imagem: Bruno Morgado.

Este projeto analisou quatro técnicas alternativas: Os fenômenos mútuos, as aproximações mútuas, uma ocultação estelar e a técnica de combinação de imagens. E para isso foram organizadas três campanhas observacionais entre 2014 e 2019. Este projeto contou com observações feitas em 10 telescópios com aberturas entre 25 e 120 cm em diversos países. Os observatórios participantes estão ilustrados na Figura 2.

blank
Figura 2: Mapa das estações que fizeram observações dentro das campanhas deste projeto. Crédito da imagem: Bruno Morgado.

Este projeto resultou na análise de 73 fenômenos mútuos, 127 aproximações mútuas, 1 ocultação estelar e dez conjuntos de dados utilizando a técnica da combinação de imagens. Quatro artigos contendo estes resultados foram publicados em revistas internacionais. Maiores detalhes podem ser encontrados nas matérias sobre a campanha dos fenômenos mútuos, a campanha das aproximações mútuas e a campanha sobre a ocultação estelar pelo satélite galileano Europa.

A banca avaliadora foi composta por Dr. Roberto Vieira Martins (orientador, ON-MCTIC e LIneA), Dr. Alvaro Augusto Alvarez Candal (ON-MCTIC), Dr. Fernando Virgilio Roig (ON-MCTIC), Dr. Ramachrisna Teixeira (IAG-USP) e Dr. Adrian Rodriguez Colucci (OV-UFRJ), os membros suplentes da banca foram Dr. Rodney da Silva Gomes (ON-MCTIC e LIneA) e Dr. Nelson Callegari Júnior (UNESP-Rio Claro).

blank
Figura 3: Da esquerda para a direita: Dr. Roberto Vieira Martins (orientador), Dr. Bruno Morgado, Dr. Alvaro Augusto Alvarez Candal, Dr. Fernando Virgilio Roig e Dr. Adrian Rodriguez Colucci. Créditos da imagem: Bruno Morgado.

Este projeto reforça a importância da colaboração entre diversos institutos, incluindo também observadores amadores. O recém formado Dr. Bruno Morgado é participante do Transneptunian Occultation Network (TON), que é apoiado também pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia do e-Universo (INCT do e-Universo).

LIneA e o INCT do e-Universo tem como missão apoiar a participação de pesquisadores associados a instituições brasileiras em grandes levantamentos astronômicos, como os projetos Dark Energy Survey (DES), Sloan Digital Sky Survey (SDSS), Dark Energy Spectroscopic Instrument (DESI), e o LargeSynoptic Survey Telescope (LSST). O LIneA, criado em 2010, é um laboratório apoiado pelo Observatório Nacional (ON), pelo Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC) e pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP). As atividades do LIneA vem sendo apoiadas ao longo dos anos pelo MCTIC, FINEP, FAPERJ, FAPERGS e a FAPESP. O programa INCT tem o apoio do CNPq, CAPES, e FAPERJ.

2 comentários para “A astrometria dos satélites galileanos por métodos alternativos”

  1. Muy bueno!!! Felicitaciones y saludos para Fernando y Adrian.

    Alberto Ceretta
    Observatorio Los Molinos – Uruguay