Dark Energy Survey termina primeiro ano de observações com uma bela imagem

27 de fevereiro de 2014 | LIneA

O Dark Energy Survey (DES) encerrou sua primeira (de um total de 5) temporada de coleta de dados obtendo uma bela imagem da nebulosa planetária NGC 1360 (ver imagem abaixo). Nebulosas planetárias são nuvens de gás, de forma aproximadamente simétrica e, não raro, circular. Daí o nome, pois elas lembram a forma dos planetas. O gás é quente (mostrado em azul na imagem) e foi ejetado de uma estrela maior do que o Sol e que está nos estágios finais de sua evolução, prestes a virar uma anã branca. Essa estrela central é também claramente visível na imagem. A ejeção do gás resulta de pulsações ou soluços causados por instabilidades no interior da estrela. A imagem confirma algumas das características que tornam NGC 1360 um objeto relativamente peculiar para a classe de nebulosas planetárias, como a ausência de limites claros na distribuição do gás, a qual é bastante homogênea, sem subestruturas evidentes.

A imagem mostrada é apenas um dentre vários exemplos de objetos conhecidos, como nebulosas, galáxias próximas, aglomerados de estrelas e de galáxias que o levantamento do DES vem imageando em 5 filtros que cobrem ondas eletromagnéticas do azul ao infra-vermelho próximo.

blank

A nebulosa planetária NGC 1360, situada na direção da constelação de Fornax. Ela foi descoberta ainda no século XIX. Note o nível de detalhes proporcionado pelo DES para este objeto extenso. As fontes aparentemente envolvidas pelo gás de NGC 1360, na verdade, são estrelas e galáxias mais distantes. Já a fonte no centro da nuvem é a estrela central da nebulosa, uma estrela que já exauriu seu combustível nuclear e que expeliu o gás em uma série de pulsos causados por instabilidades dinâmicas no seu interior.

Comentários estão fechados.