Ondas gravitacionais e evolução de galáxias

24 de outubro de 2018 | LIneA

Ao pesquisarmos a evolução de galáxias, naturalmente estudamos suas populações estelares e consequentemente o produto final de sua evolução: estrelas anãs brancas, estrelas de nêutrons, buracos negros… Alguns destes objetos em seus estágios finais de evolução podem resultar em eventos catastróficos, liberando grandes quantidades de energia. Em alguns eventos como fusão de estrelas de nêutrons ou de buracos negros, existe a geração de ondas gravitacionais.

Estudar o tipo de galáxia que hospeda uma fonte de ondas gravitacionais usando levantamentos fotométricos como o Dark Energy Survey (DES), pode nos ajudar a entender melhor os próximos eventos a serem detectados pelos observatórios de ondas gravitacionais, como o LIGO.

Durante a semana de 10 a 14 de setembro, os cientistas do LIneA receberam a visita do Dr. William Hartley da University College London (UCL), coordenador do grupos de trabalho sobre evolução de galáxias, no DES, e redshifts fotométricos, no LSST. Durante a visita, os cientistas discutiram temas científicos de interesse dos dois levantamentos, com enfoque nas ferramentas do portal científico.

Foram oito reuniões ao todo, contando com a participação dos cientistas: Luiz da Costa, Marcio Maia, Ricardo Ogando e Paulo Pellegrini, além dos doutorandos Julia Gschwend e Hillysson Sampaio (Figura 1). Além das reuniões, o visitante ofereceu uma palestra (Figura 2) aberta à comunidade do Observatório Nacional e transmitida ao vivo pela internet (veja link para o vídeo abaixo) onde apresentou resultados da observação na faixa do óptico, usando a câmera do DES (DECam) de uma explosão de Kilonova provocada pela fusão de duas estrelas de nêutrons. Este evento teria sido descoberto horas antes pelo experimento LIGO, que disparou um alerta para que os astrônomos apontassem os telescópios e obtivessem imagens do evento. Esta descoberta tem uma grande importância para a cosmologia, uma vez que as Kilonovas podem servir como “sirenes cósmicas”, úteis para medir distâncias no Universo, assim como as Supernovas (saiba mais no blog ” A constante de Hubble ao sabor das ondas” ). Segundo o cientista, centenas de descobertas e medidas de Kilonovas como esta ocorrerão nos próximos 5 anos. O vídeo da palestra (em inglês) está disponível na galeria de vídeos do LIneA, em http://www.linea.gov.br/seminarios/.

Como resultado da série de reuniões, foram feitos planos de ação para a análise dos dados do terceiro ano do levantamento DES, intensificando a colaboração entre o DES-Brazil e o grupo de Evolução da Galáxias do DES que também está envolvido no LSST. A visita foi promovida com apoio conjunto do INCT do e-Universo e do Observatório Nacional.

Figura 1 – Reunião com os estudantes trabalhando na área de evolução de galáxias. Este é um dos principais objetivos do INCT que é promover colaborações internacionais para ajudar na formação de novos pesquisadores. Crédito da imagem: Ricardo Ogando.
Figura 2 – Palestra sobre os resultados científicos mais recentes relacionados à observação de ondas gravitacionais. Crédito da imagem: Ricardo Ogando

Deixe um comentário