Encontro de educação, tecnologia e inovação discute seu impacto na América Latina

20 de setembro de 2018 | LIneA

Educação, tecnologia, e inovação são temas centrais para o desenvolvimento de um país. Com a era dos grandes levantamentos em astronomia, como Dark Energy Survey (DES) e Large Synoptic Survey Telescope (LSST), a ciência básica se alia à alta tecnologia para transporte, armazenamento, processamento, e análise dos dados – a chamada ciberinfraestrutura de e-ciência.

De 3 a 5 de Setembro, vários membros da comunidade de e-ciência, principalmente latino-americana, se reuniram em Cartagena, Colômbia para participar do TICAL 2018 e o 2º Encuentro Latinoamericano de e-Ciencia. O evento contou com palestras, como por exemplo, a de Martin Hilbert, da Universidade da Califórnia, sobre o impacto da inteligência artificial no estudo do comportamento humano.

O LIneA, como um laboratório de e-astronomia, se fez presente através de Luiz Nicolaci da Costa, seu coordenador, Ricardo OgandoMartin Banda, todos do Observatório Nacional e LIneA, além de Leandro Ciuffo da RNP.

Luiz da Costa apresentou a história do LIneA na sessão de “Ciberinfraestrutura para a Ciência” e como o laboratório dá suporte para participantes brasileiros de grandes levantamentos astronômicos.

Na sessão de “Apoio a investigação: Aplicações”, Ricardo Ogando apresentou os produtos desenvolvidos no LIneA instalados em centros internacionais como o Quick Reduce em Cerro Tololo, Chile, para o DES, o LIneA Science Server parte do Data Release Interface que disponibiliza os dados do DES a partir de um portal instalado no NCSA em Urbana, EUA, e o Quick Look Framework, em Kitt Peak, EUA, para o DESI.

Martin Banda, doutorando do ON, falou de uma nova interface que permite automatizar a previsão de ocultações de TNOs usando dados do DES.

Leandro Ciuffo falou do Mapeamento de serviços de suporte à e-Ciência, elemento fundamental para dar apoio de forma otimizada a grandes projetos como o LSST. Os dados do LSST vão para os EUA através de um conjunto de fibras ópticas que passa pelo Brasil. Elas tem um tráfego sustentado de até 40 Gbps, o suficiente para transportar 18 Terabytes por hora! Esse tipo de desenvolvimento é fundamental para romper as barreiras geográficas, estreitando as colaborações entre países, fomentando o ambiente de inovação na América Latina.

Figura 1 – Participantes da conferência TICAL2018.
Figura 2 – Ricardo Ogando, Martin Banda, e Luiz da Costa apresentam o LIneA e seus produtos na conferência Tical.

Deixe um comentário