Reunião da colaboração SDSS-IV em Santiago do Chile

24 de agosto de 2017 | LIneA

Entre os dias 22 e 29 de Julho, a quarta fase da colaboração Sloan Digital Sky Survey ( SDSS-IV) realizou seu encontro anual, na cidade de Santiago do Chile. O encontro ocorreu no Centro de Inovación da Universidade Católica do Chile (UCC), e foi dividido em três grandes blocos. Entre os dias 22 e 23, ocorreu o encontro de educação e divulgação científica Sharing One Sky. De 27 a 28 de Julho, os grupos de trabalho envolvidos nos levantamentos APOGEE e MaNGA se reuniram para troca de experiências. A reunião geral da colaboração ocorreu entre os dias 24 e 26 (foto dos participantes na Figura 1).

A reunião geral foi aberta pelo reitor da Faculdade de Física da UCC, Máximo Bañados. Após, houve um relato sobre o status da colaboração (Michael Blanton), seguido de atualizações dos levantamentos individuais. Ao longo dos três dias, foram apresentados trabalhos na forma de palestras e painéis envolvendo os levantamentos APOGEE, MaNGA, e eBOSS. O evento se encerrou com uma descrição sobre os planos que estão sendo desenvolvidos para o futuro do SDSS após o encerramento da quarta fase (Juna Kollmeier) e com um sumário da reunião (Matt Bershady).

Sandro Rembold, pesquisador da Universidade Federal de Santa Maria e afiliado ao LIneA, participou do evento principal, apresentando o trabalho Identification of AGN hosts and definition of a control sample in MaNGA. Esse trabalho, que conta com diversos colabores do LIneA e de instituições internacionais, tem por objetivo construir e caracterizar uma amostra de galáxias com núcleos não-ativos – ou seja, galáxias desprovidas da intensa emissão de energia associada à acresção de matéria por um buraco negro supermassivo localizado no seu centro. Essas galáxias podem ser vistas como um “grupo de controle” para galáxias com núcleo ativo (veja imagem com algumas delas na Figura 2).

A importância da criação dessa amostra de controle é permitir identificar se existem outras propriedades, além da atividade nuclear, que sejam diferentes entre esses dois tipos de galáxias. Com essa análise é possível fornecer mais pistas sobre como o buraco negro supermassivo é “alimentado”. O levantamento MaNGA (leia mais sobre ele aqui), que fornece espectros ao longo de toda a extensão física das galáxias da amostra, será usado para investigar as propriedades das estrelas e do gás para as galáxias ativas e não-ativas.

Sandro Rembold participou da reunião através de auxílio do INCT do e-Universo que apoia brasileiros participantes de grandes levantamentos internacionais.

Figura 1 – Foto de grupo dos participantes da reunião anual da colaboração SDSS-IV. Crédito da imagem: SDSS-IV.

Figura 2 – Imagens de galáxias da amostra de controle similares a de alguns AGNs. Na coluna da esquerda temos imagens de AGNs do levantamento MaNGA. Na segunda e terceira colunas temos objetos de controle (não-AGNs). Crédito da imagem: Sandro Rembold e colaboradores.

Deixe um comentário