Predições de ocultações estelares ao alcance de todos

26 de julho de 2017 | LIneA

Você sabe o que são TNOs? Trata-se do conjunto de pequenos corpos planetários situados além da órbita de Netuno (TNO é a abreviação em inglês para objeto transnetuniano), ou seja, a uma distância do Sol 30 vezes maior do que a que separa a Terra do Sol (cerca de 150 milhões de quilômetros). Com isso, estes objetos sofreram poucas alterações ao longo do tempo e são preciosas fontes de informação sobre a história e a evolução do sistema solar exterior. Uma outra classe de pequenos corpos planetários, os Centauros são objetos mais próximos e acredita-se que possuem origem comum com os TNOs. Por consequência, também é importante estudá-los.

O LIneA e INCT do e-Universo, por meio do portal TNO, disponibilizam dados para estudos de TNOs e Centauros. O portal promove acesso universal a mapas com predições de ocultações estelares para alguns milhares desses objetos e exerce papel fundamental na geração de alertas à comunidade científica sobre a ocorrência de eventos potencialmente interessantes. Futuramente, com mais imagens do levantamento Dark Energy Survey, com o início do levantamento Large Synoptic Survey Telescope (LSST), e com as próximas liberações de resultados da missão espacial Gaia, essa página irá fornecer predições precisas de ocultações estelares para dezenas de milhares de TNOs e Centauros. A página contará com outros recursos, tais como filtragem por magnitude e busca por todas as ocultações previstas num dado intervalo de tempo, independentemente do objeto, além de parâmetros físicos e orbitais dos corpos lá contidos,

A ocultação estelar ocorre, como sugere o nome, quando um corpo interpõe-se entre o observador e uma estrela, bloqueando total ou parcialmente a luz observada. Trata-se de uma poderosa ferramenta para estudo de pequenos corpos, pois permite que tamanho e forma dos objetos sejam conhecidos com precisão de até poucos quilômetros. A técnica também permite a detecção e estudo de atmosferas bastante tênues, investigação das vizinhanças imediatas do corpo e até mesmo de aspectos gerais da topografia. Qual a relevância das predições em tudo isto? São elas que dizem quando e onde, sobre a Terra, um tal evento poderá ser observado.

Em 2013, pesquisadores do LIneA participaram de uma importante descoberta por meio de uma ocultação estelar visível a partir da América do Sul. Através dela, foi detectado um sistema de anéis ao redor de Chariklo – um Centauro com diâmetro aproximado de 250 km que orbita entre Saturno e Urano. Antes, sistemas de anéis eram conhecidos apenas nos planetas gigantes – Júpiter, Saturno, Urano, Netuno.

Figura 1 – Ocultação pelo Centauro (10199) Chariklo, ocorrida em junho de 2013. As linhas pontilhadas representam as trajetórias da estrela ocultada relativas à Chariklo no plano do céu, como observadas a partir de telescópios em oito diferentes localidades. Os segmentos verdes indicam a localização do sistema de anéis descoberto. Os segmentos azuis indicam o bordo aparente de Chariklo. Quanto maior o segmento, maior a incerteza da medida.
Figura 2 – Melhor curva de luz oriunda da ocultação por Chariklo ocorrida em junho de 2013, obtida pelo telescópio Dinamarquês de 1.54 m em La Silla (Chile), e que mostra claramente a ocultação pelo corpo central (parte mais profunda da curva) e pelos anéis (indicados como 2013C1R e 2013C2R).
Figura 3 – Mapa de ocultação para o objeto (10199) Chariklo. Nele, estão data e horário do evento, trajetória da sombra de ocultação e o sentido (seta na parte direita inferior da figura). Este evento poderá ser visto por vários telescópios na América do Sul, com grande envolvimento de pesquisadores do LIneA. Este é um dos vários mapas disponíveis no portal TNO.

Deixe um comentário