Câmera do Dark Energy Survey está pronta para ser enviada ao Chile.

28 de abril de 2011 | LIneA

A maior câmera digital existente nos dias de hoje, a DECam, com 570 Mega pixels, foi montada e testada ao longo do último ano nas dependências do Laboratório Nacional Fermi (FERMILAB), próximo a Chicago, no estado do Illinois – USA. Para os testes com a câmera foi desenvolvido um “simulador de telescópio” (ver Fig. 1) de forma a criar as condições a que a DECam vai estar sujeita quando instalada no topo do telescópio Blanco de 4m situado no Cerro Tololo, nos Andes chilenos. O simulador de telescópio faz com que os testes necessários sejam feitos fora do Telescópio Blanco, reduzindo drasticamente o tempo de instalação e permitindo que o telescópio continue em operação regular.

O nome DECam é na verdade uma abreviação para Dark Energy Camera. Esse instrumento foi construído para ser utilizado no projeto Dark Energy Survey (Mapeamento da Energia Escura) que irá obter imagens do céu no hemisfério sul atingindo uma combinação de área, resolução e profundidade (distâncias) sem precedentes. O principal objetivo do projeto é entender a natureza da componente desconhecida que seria responsável por 95% da energia do Universo, a chamada Energia Escura. No entanto, ele obterá informações importantes para entender outros componentes do Universo (como a Matéria Escura e os neutrinos), além da estrutura do Universo em grandes escalas, a evolução de galáxias e a estrutura de nossa própria galáxia. Participam desse projeto internacional países como Estados Unidos, Reino Unido, Espanha, Brasil (através do LIneA) e Alemanha.

A construção desta câmera digital contou com a participação de diversas instituições, entre elas o Berkeley Lab, que desenvolveu os CCDs com sensibilidade sem precedentes na região vermelha e infravermelha do espectro eletromagnético. O Argonne National Laboratory desenvolveu uma mini câmera para um levantamento de calibração, chamado de PreCam, usando os CCDs idênticos aos da DECam. O SLAC National Accelerator Laboratory, entre outros itens, desenvolveu um mini telescópio com uma câmera para observações no infravermelho, que irá monitorar a cobertura de nuvens no sítio.

O Brasil contribuiu com o desenvolvimento de um software (QR, ver Fig. 2) para fazer uma redução rápida para verificação da qualidade das imagens à medida que elas são obtidas pela DECam. Testes de integração deste software já foram feitos no início deste ano junto ao simulador de telescópio.

Para mais informações sobre o projeto Dark Energy Survey veja http://des-brazil.linea.gov.br/ e http://www.darkenergysurvey.org

simulador telescopio

Fig. 1. Simulador de telescópio para testes da DECam. O anel amarelo visto na foto é réplica do que existe no telescópio Blanco onde será fixada a DECam. A DECam pode ser vista fixada ao anel.

QR telescope simulator

Fig. 2. O “Quick Reduce”, aplicativo desenvolvido pelo time do DES-Brazil.

Deixe um comentário