Home INCT INCT

APOGEE

O Apache Point Observatory Galactic Evolution Experiment (APOGEE) é um levantamento espectroscópico de alta resolução no infra-vermelho próximo. Espectros são obtidos para uma amostra uniforme de mais de 100.000 estrelas pertencentes a todas as populações estelares galácticas (bojo, disco, barra e halo). Seus principais objetivos científicos são:

cam_apogee
Câmera APOGEE

• Medir a abundância de 17 elementos químicos nas atmosferas de estrelas situadas em direções próximas ao plano do disco da Galáxia, a fim de vincular melhor os modelos de evolução química Galáctica. Abundâncias serão medidas para os seguintes elementos: C, N, O, Mg, Al, Si, Ca, Fe, Ni, Na, S, Ti, Mn, K, V, Cr e Co.

• Obter velocidades radiais com precisão de 0.5 km/s, as quais são fundamentais para impor vínculos à dinâmica dos componentes da Galáxia, bem como para discriminar eventuais subestruturas nos mesmos.

• Inferir as propriedades das primeiras estrelas (que se supõe residir ou que tenham residido no bojo e halo), detectando-as diretamente, caso tenham sobrevivido aos dias atuais, ou medindo seus produtos nucleossintéticos herdados pelas estrelas velhas que sobreviveram.

• Acessar observacionalmente regiões do interior da Galáxia que estão obscurecidas pela poeira interestelar, obtendo para as estrelas destas regiões os mesmos dados disponíveis para as populações estelares menos obscurecidas. Além disso, considerando a amostra de grande tamanho a ser coletada, ser capaz de estabelecer valores estatisticamente confiáveis para parâmetros cinemáticos e químicos em função da posição e da direção na Galáxia com o nível de confiança atualmente disponível apenas para a vizinhança solar.

• Atingir um salto dramático (mais de duas ordens de grandeza) em comparação ao número total de espectros estelares de alta resolução disponíveis, com vistas a permitir avanços significativos em astrofísica estelar e galáctica.

O BPG vem participando ativamente do APOGEE, tendo contribuído para os seguintes aspectos:

  1. definição dos campos a serem observados;
  2. determinação de distâncias às estrelas da amostra;
  3. caracterização das propriedades químicas e cinemáticas do disco Galáctico e de suas variações espaciais;
  4. análise da amostra de estrelas em comum entre APOGEE e levantamentos de sismologia estelar, como CoRoT e Kepler.
apogee1
Figura 1. No lado esquerdo vemos valores de abundância química de elementos mais pesados do que H e He (a que chamamos de metalicidade) graficados contra valores de distância ao centro Galáctico para uma das amostras do APOGEE estudadas pelo BPG. Cada painel corresponde a estrelas situadas a uma determinada distância do disco da Galáxia. No lado direito, vemos as correspondentes distribuições de metalicidade. Figura tirada do artigo Anders et al (2014, A&A, 564, 115).