Home

Lenteamento Fraco

A luz de galáxias distantes pode ser defletida ao passar por um objeto massivo que esteja no caminho, como por exemplo uma galáxia ou um aglomerado de galáxias. A deflexão da luz dessas fontes distantes leva a deformações nas suas imagens observadas, ao que chamamos de lenteamento gravitacional. O termo faz uma analogia com o efeito de uma lente, a qual também deflete a trajetória da luz. Mas no caso presente a causa da deflexão é a concentração de matéria, e não de material refrator.

lenteamento_01
Figura 1 – Exemplo do efeito de lenteamento forte produzido por um aglomerado de galáxias. Crédito da imagem: NASA/STScI

Dependendo do grau de distorção produzido nas imagens, o efeito de lenteamento é dito forte ou fraco. No lenteamento forte formam-se longos arcos gravitacionais ou imagens múltiplas de uma mesma fonte (ver Figura 1). Ele ocorre quando a luz da fonte passa a uma distância menor do que um valor crítico do objeto massivo (ou lente). Esse tipo de alinhamento é raro.

O lenteamento fraco leva a pequenas deformações (da ordem de 2%) nas imagens das galáxias (ver Figura 2). Mas essas deformações ocorrem a distâncias maiores das lentes e se aplicam, portanto, a um número muito maior de fontes. Medir essas pequenas deformações causadas pelas grandes estruturas do Universo exige então uma grande amostra, contendo milhões de galáxias, como aquela que o DES irá proporcionar. Em uma analogia, medir o efeito de lenteamento fraco é como tentar ouvir alguém conversando em meio à comemoração de um gol em um estádio de futebol.

De qualquer forma, o estudo do efeito de lenteamento fraco em torno de estruturas a diferentes redshifts permite então determinar como se deu o crescimento dessas estruturas com o tempo, o que novamente remete ao cabo de guerra entre a gravidade atrativa (provocada pela matéria bariônica e escura) e a energia escura repulsiva.

Note que o efeito de lente é causado por toda a matéria presente na lente gravitacional. Então este efeito permite determinar, por exemplo, a massa total (de átomos e de matéria escura) de um aglomerado de galáxias.

Novamente, simulações envolvendo vários modelos de universo ajudarão a mostrar pelos efeitos de lenteamento observados com o DES quais os parâmetros físicos corretos que descrevem o cosmos.

 

lenteamento_02
Figura 2 – Exemplo de lenteamento fraco produzido por um aglomerado de galáxias na forma das galáxias mais distantes. O painel esquerdo superior mostra a projeção no plano do céu das formas das galáxias do aglomerado (em amarelo) e das galáxias de fundo (mais distantes, em branco) ignorando o efeito de lenteamento. O painel inferior direito mostra este mesmo cenário porem incluindo o efeito de lenteamento. O que se percebe é que as galáxias situadas atrás do aglomerado aparecem “esticadas” tangencialmente ao redor do aglomerado. O painel central mostra a distribuição em 3 dimensões das posições do aglomerado e das galáxias distantes. Crédito da imagem: Michael Sachs

Artigos envolvendo análises de lenteamento fraco já foram produzidos pelo levantamento DES usando dados de verificação científica. Alguns dos resultados podem ser vistos nas publicações:

  • The DES Science Verification Weak Lensing Shear Catalogs  – arXiv
  • Redshift distributions of galaxies in the DES Science Verification shear catalogue and implications for weak lensing  – arXiv
  • Weak lensing by galaxy troughs in DES Science Verification data – MNRAS
  • Em particular, o artigo Wide-Field Lensing Mass Maps from Dark Energy Survey Science Verification Data (PRD) apresenta uma mapa da distribuição de matéria escura feito para uma porção da região do levantamento DES (ver Figura 3 e notícia).
Dark_Matter_Map_IV
Figura 3 – Este é o primeiro mapa Dark Energy Survey para rastrear a distribuição detalhada da matéria escura através de uma grande área do céu. A escala de cores representa a densidade de massa projetada: amarelo e vermelho são as regiões com matéria mais densa. Os mapas de matéria escura estão em conformidade com o quadro atual da distribuição de massa no Universo onde grandes filamentos de matéria alinham-se com as galáxias e aglomerados de galáxias. Os aglomerados de galáxias são mostrados pelos pontos cinzentos no mapa – pontos maiores representam aglomerados maiores. Crédito da imagem: Dark Energy Survey